Marchas 2018: Trolitêres 2018

0

Trolitêres 2018

Letra: José Luís Faísca
Música: Mário João Estrelinha
Canta: Mário João Estrelinha

“Trolitêres 2018”

C’mecê a óvir trapaça
Saí a c’rrer de casa
‘tava um barulh’infernal
Eram esses Trolitêres
Vaidoses, todes lampêres
A gritar pu Carnaval

A gente quer é g’zar
Qu’remos cantar e balhar
Porqu’a vida é muito bela
E assim mesme é que é
Muito vinhe e água-pé
E muito arroz de cabidela

Pós Trolitêres
Podem crer que não há pai
C’rremes o mund’á roda
Até sermes c’nhecides
Na Maiorga e no Dubai 

Nos Trolitêres
Semes todes uns jêtoses
E dignes d’apreciar
Même tud’a c’xear
Sêmes uns lindes,
Maravelhoses

Diz o Nuno pó Edgar
Só m’apetece é cantar
Todo eu sou alegria
Já na tenhe espandilose
Até me passou a tosse
Graças á fisiotrapia

Um Trolitêre ontre dia
Fez a colenósc’pia
Qu’é a doença do povo
Mas foi tal a confusão
Só lhe deu em c’mexão
E ficou c’um andar novo